Minha Bisavó Virou Borboleta!

(Quando eu conto essa história, a pessoa faz cara de “Não discorda que ela pode ser violenta!”)

Parece mentira, mas é sério. As mulheres da família faziam os doces para a minha festa de quinze anos quando a minha irmã, que na época tinha sete, olhou para a Vó de Laguna e, talvez, se dando conta da ordem natural das coisas, afinal a Bisavó já tinha noventa anos, disse: – Vó, será que a senhora vem ao meu aniversário de quinze anos? Ela respondeu: – Mas é claro, querida! A vó vem nem que seja como borboleta!  Morreu dois anos depois.

Reunidas, as mulheres da família faziam os doces para a festa de quinze anos da minha irmã quando, de repente, uma delas parou de falar e apontou a parede. Um silêncio emocionado tomou conta da cozinha. Lá estava ela, a enorme borboleta. Desconhecendo a promessa, meu pai pegou um pano de louça para espantá-la e, coitado, quase foi trucidado por um bando de mulheres ensandecidas.

São inúmeros os exemplos, vou contar mais um. Em 2003 estávamos eu, meus filhos e meus pais conversando na sala da sua casa, quando de repente meu pai olhou para o teto e disse: – Ô D. Aurelina! O que é que a senhora está fazendo aí em cima? Uma enorme borboleta negra manchada de rosa estava pousada no lustre da sala. Desatamos a rir!  – Esse pai! Meu pai acreditava nessas coisas, mas era, antes de tudo, um piadista.

No dia seguinte nos chegou a notícia do nascimento do Eduardo, meu querido, lindo e inteligente sobrinho-neto, o primeiro bisneto dos meus pais. Era esperado para maio, mas resolveu nascer em fevereiro, aos seis meses. Ficou na Maternidade até ficar prontinho e durante esse tempo vivemos um misto de felicidade e preocupação, mas sempre que a angústia apertava a gente lembrava que nunca estamos sozinhos. Afinal, não é qualquer um que tem uma Vó de Laguna como embaixadora para assuntos de natureza insólita.borboleta preta com azul

Foto: capturada na internet

Anúncios
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , by Norma Bruno. Bookmark the permalink.

About Norma Bruno

Vivo na Ilha de Santa Catarina desde que nasci. Sou de aquário, portanto já nasci aluada, mas contraditoriamente, não me dou bem com tecnologia e gosto mesmo é de coisa velha. Fiz muitas coisas, deixei para trás outras tantas, tenho muito por fazer. Coleciono cenas urbanas, rendas de bilro e revistas antigas. Escritora amadora em todos os sentidos, invento coisas, conto histórias. Livros publicados: - Prosa, quase Poesia - ou vice-verso - Tempo Editorial. 2015 - Cenas Urbanas e Outras Nem Tanto. Bernúncia Editora. 2012 - A Minha Aldeia Editora Papa-Livros. 2004. - Leia Crônicas da Desterro no site www.carosouvintes.org.br

11 thoughts on “Minha Bisavó Virou Borboleta!

  1. Pingback: Encontro 7 – Estudo – Escrita Criativa | bocadeleao

  2. Pingback: Encontro 7 – Estudo – 28 de junho de 2016 | bocadeleao

  3. Norma! Teu texto é muito bom de ler. Que história hein? Fiquei arrepiado com a presença na festa. Uma lágrima escorreu é claro. Danadinha. Que linda!

  4. Pingback: Encontro 5 – Norma Bruno – 7 de junho de 2016 | bocadeleao

  5. Pingback: bocadeleao

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s