A Ponte Hercílio Luz e Suas Muitas “Estórias”

Soberana!

Foto: arquivo Rogério Santana captada da internet.

Transitar com rapidez, conforto e segurança é um desejo legítimo dos cidadãos, talvez por isso as pessoas abracem qualquer solução para o problema, mesmo as paliativas, as equivocadas e até mesmo as oportunistas.

Nessa discussão sobre a Hercílio Luz o que me assusta não é a prevalência do discurso “derrubista” que apregoa a inutilidade da Ponte, mas a apatia dos preservacionistas que ou calam ou se manifestam apenas nos seus círculos de afinidade.

Há muito tempo a Hercílio Luz deixou de ser um equipamento para ser um monumento; símbolo e guardiã de nossa identidade. A civilização está no estado da arte, e a Arte é inútil; também a Cultura se constitui, em grande parte, de “inutilidades”.

Numa madrugada dessas perdi o sono e o pensamento voou para longe. Passei a pensar no tema da próxima crônica e relembrei mais uma “estória”, sou daquele tempo, sobre a nossa querida Ponte. Essa aconteceu comigo. Quantas histórias sobre a Ponte estarão perdidas por aí, esquecidas, à espera de serem contadas? Histórias são retalhos de vida que voltam a existir quando são compartilhadas. Não dormi mais.

É disso que a Memória se nutre: das histórias pessoais, das memórias familiares, dos causos: “meu pai contava que, quando ele era moço…”, “Quando eu era pequeno, minha mãe…” histórias simples, do cotidiano das gentes. Para a Memória, ouro puro.

Depois do fato consumado não faltarão manifestações de pesar, choro e tristeza, inclusive daqueles que o poderiam ter evitado. Durante um tempo as pessoas contarão histórias sobre a Ponte, depois ela será esquecida, como aconteceu com o Miramar. Precisamos contar essas “estórias” agora, não depois. Talvez encontremos motivos para querer vê-la preservada!

* P. S.: Se conheces uma história, algum causo envolvendo a Ponte Hercílio Luz, escreve para blogdenormabruno@gmail.com Prometo divulgá-la aqui. Se tudo der certo, pretendo selecionar uma das histórias enviadas, (re)escrevê-la sob a forma de crônica ou conto e publicá-la no blog com o devido crédito: baseado no relato de “fulano de tal”.

Gostaria de reunir essas histórias e publicá-las no dia 23 de março, dia do  aniversário da cidade.

Anúncios
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , by Norma Bruno. Bookmark the permalink.

About Norma Bruno

Vivo na Ilha de Santa Catarina desde que nasci. Sou de aquário, portanto já nasci aluada, mas contraditoriamente, não me dou bem com tecnologia e gosto mesmo é de coisa velha. Fiz muitas coisas, deixei para trás outras tantas, tenho muito por fazer. Coleciono cenas urbanas, rendas de bilro e revistas antigas. Escritora amadora em todos os sentidos, invento coisas, conto histórias. Livros publicados: - Prosa, quase Poesia - ou vice-verso - Tempo Editorial. 2015 - Cenas Urbanas e Outras Nem Tanto. Bernúncia Editora. 2012 - A Minha Aldeia Editora Papa-Livros. 2004. - Leia Crônicas da Desterro no site www.carosouvintes.org.br

2 thoughts on “A Ponte Hercílio Luz e Suas Muitas “Estórias”

  1. IDIOTASSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS,
    QUEREM AJUDAR E DAR BRONCA NO GOVERNO E NA SOCIEDADE IGNORANTE PARA CONSERTAREM ESTA PONTE SUPER FORTE , POIS NÃO É DE AREIA COMO AS OUTRAS DUAS!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s