Manezinho da Ilha, Certificado de Origem

De três em três meses vou ao Jardim da Paz renovar as flores do túmulo do meu pai. Os intervalos coincidem com algumas datas significativas. Natal e Dia dos Pais, naturalmente, e também o aniversário de sua morte e o do seu nascimento. Hoje, 24 de março, ele faria 84 anos, então fui até lá, cumprir meu compromisso filial.

Estou sem carro, de modo que tô de ônibus. E, “porque hoje é sábado” e os horários ficam rareados, ao chegar ao Terminal pedi a um senhor de uniforme azul e cabelo pintado de preto, que me indicasse a linha que leva ao Jardim da Paz.  Foi o suficiente. – Morreu alguém da sua família, foi?, a mão já apoiada sobre o meu ombro e o olhar pesaroso (desandei a rir). – Meu pai, eu disse. Há quatro anos! Hoje seria aniversário dele. Vou lá trocar as flores. – Tadinho! Meus pêsames!, disse ele apontando o ônibus linha Saco Grande via João Paulo, parado na plataforma.  Agradeci e me alojei perto da porta. Ele voltou: – A senhora sabe onde fica? O sorriso limitado por dois caninos de ouro.

O ônibus seguiu em direção ao bairro, uma profusão de mansões, casas pequenas, condenadas, espremidas entre os paredões e os prédios em construção que contornam a Baía e o que restou do mangue. Aproximadamente a uns duzentos metros do Jardim da Paz há um ponto de ônibus, de modo que, preparada para descer, puxei a campainha, mas o motorista passou direto. Eu protestei, preocupada em ter que voltar todo aquele trecho a pé. O ônibus parou exatamente em frente ao portão do Cemitério. – Vai lá, vai minha filha! Vai rezar pro teu paizinho! Era o seo Alcebíades, o nome dele, me olhando pelo espelho interno!

É por essas e por outras que eu fico indignada quando alguém diz: – As pessoas daqui são fechadas! Fechadas uma ova! O nativo autêntico, o mané com Certificado de Origem como é o caso do seo Alcebíades, é “dado”, é solícito, é hospitaleiro. Nem bem a pessoa chega à sua casa, ele já sai oferecendo seu café ralo, vai fazendo confidência e, principalmente, já vai especulando tudo sobre a tua vida. Te aprecata!

Nesse tempo em que “Manezinho da Ilha” virou grife e todo mundo se outorga o título de “Mané”, é preciso prestar atenção: a pessoa pode saber falar “olhó lhó!” e te chamar de “quirido”, pode até apresentar a certidão de nascimento, mas… Fez doce ou arregô não é “legito”!

* Alcebíades é nome fictício. Escolhido por aproximação ao verdadeiro nome do dito cujo.

Anúncios
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , by Norma Bruno. Bookmark the permalink.

About Norma Bruno

Vivo na Ilha de Santa Catarina desde que nasci. Sou de aquário, portanto já nasci aluada, mas contraditoriamente, não me dou bem com tecnologia e gosto mesmo é de coisa velha. Fiz muitas coisas, deixei para trás outras tantas, tenho muito por fazer. Coleciono cenas urbanas, rendas de bilro e revistas antigas. Escritora amadora em todos os sentidos, invento coisas, conto histórias. Livros publicados: - Prosa, quase Poesia - ou vice-verso - Tempo Editorial. 2015 - Cenas Urbanas e Outras Nem Tanto. Bernúncia Editora. 2012 - A Minha Aldeia Editora Papa-Livros. 2004. - Leia Crônicas da Desterro no site www.carosouvintes.org.br

One thought on “Manezinho da Ilha, Certificado de Origem

  1. Norma vim aqui te visitar já que minha ida a capital foi com retorno antecipado e não pude fazer contato enquanto estive na ilha. Este texto está muito muito muito bom!!! Fato que não é novidade nesta página que assinas na rede. Gostaria de dizer que achei muito bonitas as matérias sobre a Festa de Passos. Não posso deixar de dizer que fiquei ENCANTADA com os textos do Ambrósio. Te dou os parabéns por tão boas e oportunas escolhas para estarem ao lado das tuas singulares criações literárias. Fico na espectativa do lançamento de teu próximo livro. Abraço grandalhão da Fatima/ Laguna/SC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s