Marinha

Hoyêdo de Gouvêa Lins

Examinei a noite,

que discretamente retirava os véus

em cujas dobras

tremeluziam tardias estrelas.

Tem mais pressa o homem

de pôr sua canoa em silhueta

contra o azul-escuro

da montanha ao longe,

onde o céu termina;

mas aguarda pacientemente,

ancorado à vara de pescar,

que seu próximo almoço

lhe venha às mãos calosas.

– Madruguei, como o pescador,

na companhia de lembranças

que tiveram o mar

por testemunha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s