Plantar uma Árvore, Ter um Filho, Escrever um Livro

                                                 Foto: Rudi Bodanese

O conhecido provérbio árabe aponta as possibilidades de transcender os limites de nossa breve passagem pela vida e deixar um legado. Árvore, criança e livro projetam-se para o futuro. Plantamos uma árvore para o futuro. Ter um filho vai além da transmissão de nosso código genético; oferece a possibilidade de “perpetuação” pela transmissão do nome da família e das histórias familiares, dos valores, da cultura. Escrever um livro é compartilhar emoções, idéias e conhecimento, lançando-os em direção às novas gerações. Um livro pode durar séculos.

Tenho três filhos, plantei algumas árvores, publiquei dois livros. O último, Cenas Urbanas e Outras Nem Tanto, lançado na semana que se encerra. Foi uma noite memorável, lá estavam velhos e novos amigos, gente que gosta de literatura, de arte, de música. Ao meu convite, as paredes do anfiteatro do Museu Histórico de Santa Catarina foram cobertas pelas fotos de Maria de Fátima Barreto Michels e as enormes telas de Thiago Furtado, usando a técnica do graffiti. Fotos e telas foram inspiradas na leitura das crônicas do livro. Foi maravilhoso ver minhas “estórias” transformadas em lindas imagens.

A rigor eu estaria devendo um livro, mas agora “garrei” gosto. Quanto às árvores, comprei duas mudas de frutíferas – uma ameixeira e uma jabuticabeira – para decorar o salão do Museu já com o intuito de plantá-las depois. O local escolhido é um terreno que fica ao lado do meu prédio.  Dizem que, quem planta uma jabuticabeira, planta-a para seus filhos, pois ela leva uma geração, vinte anos, para dar frutos. Eu vou plantá-las para o João Antônio, meu neto, que vai nascer em fevereiro.

Anúncios
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , by Norma Bruno. Bookmark the permalink.

About Norma Bruno

Vivo na Ilha de Santa Catarina desde que nasci. Sou de aquário, portanto já nasci aluada, mas contraditoriamente, não me dou bem com tecnologia e gosto mesmo é de coisa velha. Fiz muitas coisas, deixei para trás outras tantas, tenho muito por fazer. Coleciono cenas urbanas, rendas de bilro e revistas antigas. Escritora amadora em todos os sentidos, invento coisas, conto histórias. Livros publicados: - Prosa, quase Poesia - ou vice-verso - Tempo Editorial. 2015 - Cenas Urbanas e Outras Nem Tanto. Bernúncia Editora. 2012 - A Minha Aldeia Editora Papa-Livros. 2004. - Leia Crônicas da Desterro no site www.carosouvintes.org.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s