Remanso (o que não alcanço)

Foto: Carolina de Assis
Foto: Carolina de Assis

Rejane Savi

” Como definir o cheiro de manhãs úmidas e nebulosas? Como relatar exatamente o que se passa na alma instigada pelos efeitos da insularidade? Como precisar a amplidão dos silêncios de lagoas profundas e vales exuberantes? Como exemplificar a intensidade da terra vulcânica, fervendo sob a tranquilidade das pessoas que com ela convivem pacificamente?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s