O Menino Zolhudinho

A ideia era simples: aproveitar o feriado à beira d’água e descansar, visto que o João Antônio estava “impossível”, agora que já tinha dois anos, falava pelos cotovelos e andava por tudo. Qual o quê!

Com o primeiro filho não tem um dia igual ao outro. Tudo é aventura e aprendizado. Criança quando desanda a andar aí é que dá trabalho porque ela só… Vai! Vê algo que lhe interessa e vai. Está sempre indo. E a gente correndo atrás. Pois a criatura correu o dia inteiro, a maior parte do tempo em direção ao mar. Subiu e desceu no escorregador da piscina, entrou e saiu da Casinha de Brinquedos, mergulhou na Piscina de Bolinhas, comeu areia, roubou porcaria da mão de outra criança, pintou, bordou e chuleou. À tardinha capotou, em pleno banho.

O Filho e a Nora resolveram jantar no hotel e dormir também porque ainda teriam três dias de intensas atividades pela frente. E ele ali no carrinho, ferrado no sono. Lá pelas tantas, um moço chegou com um violão. A música era suave, como convém. Pois no segundo acorde o João já estatelou aquele zolhão preto dele e virou a cabeça tentando discernir o que se passava. Filho e Nora entreolharam-se. Só rindo!

Qué saí, papai! Qué saí!

A Nora ainda tentou negociar: – Dorme, filho! Dorme mais um pouquinho!  Como dormir quando a pessoa tem coisa mais interessante pra fazer? Em segundos a pessoinha estava de pé, parada, se situando. De repente arrancou em direção ao palco, parou em frente ao cantor e disse:

A Baata, tio!

Primeiro o tio não ouviu, depois não entendeu. A Nora no esforço de levá-lo de volta à mesa, ele puxando a mão gorda.

A Baata, tio!  A Baata!

Até que o tio resolveu interromper o que cantava:

– O quê, meu amor?

– A Baata!

Não sei o que é!, dirigindo-se à Nora. Ela: – Nem eu!

– “A Baata diz que tem!“, o João esclareceu.

E foi assim que um restaurante em peso cantou alegremente enquanto um Menino Zolhudinho dançava:

“A Barata diz que tem sete saias de filó, é mentira da Barata ela tem uma saia só!

Hahaha! Hahaha! Ela tem uma saia só! Hahaha! Hahaha! Ela tem uma saia só!”

img_20140531_160140 * O Ziraldo tem o Menino Maluquinho dele lá. Nós temos o nosso Menino Zolhudinho.

Anúncios
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , , by Norma Bruno. Bookmark the permalink.

About Norma Bruno

Vivo na Ilha de Santa Catarina desde que nasci. Sou de aquário, portanto já nasci aluada, mas contraditoriamente, não me dou bem com tecnologia e gosto mesmo é de coisa velha. Fiz muitas coisas, deixei para trás outras tantas, tenho muito por fazer. Coleciono cenas urbanas, rendas de bilro e revistas antigas. Escritora amadora em todos os sentidos, invento coisas, conto histórias. Livros publicados: - Prosa, quase Poesia - ou vice-verso - Tempo Editorial. 2015 - Cenas Urbanas e Outras Nem Tanto. Bernúncia Editora. 2012 - A Minha Aldeia Editora Papa-Livros. 2004. - Leia Crônicas da Desterro no site www.carosouvintes.org.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s